Fale conosco: +55 11 3181 8700 /     atendimento@radarinvestimentos.com.br      radarinvestimentos

logotipo radar investimentos

Dê um primeiro passo e receba um convite de abertura de cadastro

Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro



Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro

Dólar em alta!

por | 16 ago, 2019

Por Leandro Bovo da Radar Investimentos

A expectativa de alta do mercado futuro para o segundo semestre de 2019 estava ancorada basicamente em duas premissas: um maior volume de exportações (com destaque absoluto nesse quesito para a China) e uma menor oferta de animais na entressafra. Esses foram os fatores que impulsionaram as cotações para os patamares de até R$165,00/@ para os meses de outubro e novembro, além de motivar um grande volume de negociação na opção de compra de nível R$170,00/@ para o mês de outubro.

Desses dois fatores o que mais deixou a desejar foi a exportação para a China, que apesar de estar em volumes recordes, não aumentou tanto quanto todos esperavam dada a gigantesca demanda causada pelo impacto na peste suína no rebanho deles. A expectativa é que o número de plantas habilitadas mais do que dobrasse nesse ano, porém o que aconteceu até agora foi que nenhuma nova planta foi liberada até o momento. Além disso, a restrição da oferta na entressafra ainda não foi grade como o esperado e apesar de existirem estados muito complicados, como Pará e Tocantins, na maioria das regiões produtoras o cenário é de mercado firme, sem espaço para recuos, mas subindo numa velocidade menor do que o esperado.

 Tendo esse cenário em mente, o mercado futuro recuou significativamente de suas máximas, porém ainda precifica o contrato de outubro ao redor de R$159,50 e novembro ao redor de R$161,00/@. Apesar da diminuição da inclinação da curva, nem tudo está perdido, já que com ou sem China, a expectativa de melhora das exportações permanece intacta. Muito disso pode ser explicado pela alta do dólar, cuja cotação voltou a ficar acima de R$4,00 favorecendo enormemente nossas exportações. Acompanhe no gráfico a seguir:


190816_doleta_dg-7470817

A alta do dólar tende a dar novo gás para as exportações que tradicionalmente são mais aquecidas no segundo semestre e esse poderá ser o principal vetor que ajudará na precificação da arroba no segundo semestre. Isso acontecerá com ou sem novas plantas habilitadas para a China, porém caso isso ocorra esse ano, será um importantíssimo gatilho para novas altas. Vale a pena ficar na torcida.

***Texto originalmente publicado no informativo pecuário semanal “Boi & Companhia” nesta última quinta-feira (15/8) da Scot Consultoria***