Fale conosco: +55 11 3181 8700 /     atendimento@radarinvestimentos.com.br      radarinvestimentos

logotipo radar investimentos

Dê um primeiro passo e receba um convite de abertura de cadastro

Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro



Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro

Guedes: informação é que talvez sinais vitais (economia) não sejam preservados por tanto tempo

por | 7 maio, 2020

Por Emilly Behnke

Brasília, 07/05/20 – O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou há pouco que “a economia está começando a colapsar” por causa da pandemia de covid-19. Em reunião com o presidente Jair Bolsonaro, representantes da indústria e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, o ministro disse que Bolsonaro sempre alertou que a segunda onda da pandemia seria o colapso na Economia.

“A indústria passou que está difícil e a economia está começando a colapsar. Ao ouvir relato de empresários, presidente disse para compartilhar com Supremo”, afirmou Guedes, que atravessou a pé Praça dos Três Poderes junto com Bolsonaro e empresários para se reunirem com Dias Toffoli.

Guedes citou as medidas tomadas pelo governo, as quais, segundo ele, preservaram mais de 5,5 milhões de empregos com programas criados. Para o ministro, a indústria informou que poderia suportar dois ou três meses os efeitos da pandemia na economia, mas “a informação é que talvez os sinais vitais não sejam preservados por tanto tempo”, disse. “Em vez de sairmos como urso hibernado, talvez seja o caso (de) o colapso total”.

Guedes informou também que pediria que o presidente vetasse o aumento de salários até dezembro de 2021 previsto como contrapartida para o socorro a Estados e Municípios. “A contribuição que pedimos era não haver aumento do funcionalismo”, ressaltou Guedes.

Marco Polo de Mello Lopes, presidente-executivo do Instituto Aço Brasil e coordenador da Coalizão Indústria, lembrou que o setor industrial representa 45% do PIB, 65% das exportações e 30 milhões de empregos diretos e indiretos. “Existe a necessidade de colocarmos a roda para rodar”, disse.