Fale conosco: +55 11 3181 8700 /     atendimento@radarinvestimentos.com.br      radarinvestimentos

logotipo radar investimentos

Dê um primeiro passo e receba um convite de abertura de cadastro

Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro



Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro

Sazonalidade das Exportações

por | 24 jul, 2020

Por Leandro Bovo da Radar Investimentos

Com a crise econômica causada pela pandemia do corona vírus afetando o poder de compra da população, as exportações passaram a ter um papel cada vez mais importante na precificação da @ brasileira. Essa importância vem subindo nos últimos anos e a tendência é que fique ainda mais evidente no segundo semestre de 2020.

Acompanhe na tabela abaixo a diferença de volume exportado entre o primeiro e o segundo semestre nos últimos 10 anos.


200724_tabela1-9539793

Nesse período, a média de aumento entre o primeiro e o segundo semestre foi de 17,5% e oscilou entre uma queda de 11,9% em 2016 e uma máxima de 53,4% em 2018. Pelas circunstâncias atuais e pela consistência do histórico  é bastante confortável esperar que nesse ano a tendência se mantenha e as exportações do segundo semestre sejam maiores. Se for esse mesmo o caso, o protagonismo das exportações na precificação do boi gordo irá aumentar ainda mais.

Essa é uma ótima notícia para os pecuaristas, já que com a falta de oferta, aumento dos custos de produção e o ciclo pecuário forçando altas nos preços, a capacidade do mercado interno em absorver sua fatia da produção fica cada vez mais comprometida. Como pelo lado da exportação ainda somos muito competitivos, abaixo dos preços históricos e bastante abaixo dos nossos principais concorrentes, o mercado mundial ainda tem espaço para absorver eventuais altas no produto brasileiro.

Caso a média diária embarcada até o dia 20 de julho se mantenha para o restante do mês, é muito grande a chance de que seja quebrado o recorde histórico de volume embarcado de out19, com o segundo semestre já se iniciando bastante aquecido. Em 4 dos últimos 10 anos o maior volume embarcado do ano aconteceu no mês de outubro, portanto essa tem tudo para continuar sendo uma entressafra de preços bastante firmes para o boi gordo brasileiro

***Texto originalmente publicado no informativo pecuário semanal “Boi & Companhia” nesta última quinta-feira (23/jul) da Scot Consultoria***