Fale conosco: +55 11 3181 8700 /     atendimento@radarinvestimentos.com.br      radarinvestimentos

logotipo radar investimentos

Dê um primeiro passo e receba um convite de abertura de cadastro

Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro



Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro

Milho/EUA: plantio continua com atraso expressivo, diz USDA

por | 20 maio, 2019

Washington, 20/05/2019 – Nos Estados Unidos, o plantio de milho continua atrasado em relação aos últimos anos, segundo o relatório semanal de acompanhamento de safra divulgado nesta segunda-feira pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). De acordo com o relatório, produtores tinham semeado 49% da área total prevista até o último domingo (19). A parcela está significativamente abaixo da média dos cinco anos anteriores, que é de 80%, e da área que havia sido semeada um ano antes, de 78% do total. Segundo o analista da RCM Alternatives, Doug Berman, o plantio do grão está na mínima histórica para a terceira semana de maio. Chuvas e alagamentos no Meio-Oeste dos EUA atrapalham o avanço dos trabalhos. O USDA também afirmou que 19% da safra tinha emergido, ante 49% na média de cinco anos e 47% há um ano

O governo dos EUA disse também que 70% do trigo primavera foi plantado até domingo, ante 80% na média dos cinco anos anteriores e 76% há um ano. Ainda segundo o USDA, 26% da safra emergiu, ante 34% um ano atrás e 51% na média dos cinco anos anteriores.

Em relação ao trigo de inverno, segundo o USDA, 66% da safra do país apresentava, até o último domingo, situação boa ou excelente, dois pontos porcentuais acima do verificado na semana anterior. No mesmo período de 2018, 36% da área cultivada tinha condição boa ou excelente. O USDA disse também que 54% da safra tinha perfilhado, ante 66% na média de cinco anos e 59% há um ano.

Já a soja teve 19% do plantio concluído até a semana passada, ante 47% na média de cinco anos e 53% há um ano. Além disso, 5% da safra emergiu, ante 24% em 2018 e 17% na média dos cinco anos anteriores.

O relatório mostrou também que produtores de algodão tinham semeado 44% da área total prevista até o último domingo, ante 45% na média dos cinco anos anteriores. Fonte: Dow Jones Newswires