Fale conosco: +55 11 3181 8700 /     atendimento@radarinvestimentos.com.br      radarinvestimentos

logotipo radar investimentos

Dê um primeiro passo e receba um convite de abertura de cadastro

Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro



Dê o primeiro passo e receba
um convite de abertura de cadastro

UBS: VITÓRIA DE JOE BIDEN COM MAIORIA NO CONGRESSO É O MELHOR CENÁRIO PARA MERCADOS EMERGENTES

por | 4 nov, 2020

Talita Nascimento

São Paulo, 02/11/2020 – Uma vitória do candidato democrata Joe Biden com maioria democrata no congresso americano seria o melhor cenário para o MSCI (Morgan Stanley Capital International) dos países emergentes. Esse indicador mede o desempenho das bolsas de valores e é utilizado como parâmetro por fundos de investimentos. Com um pacote de estímulo de US$ 1,4 trilhão sob gestão democrata, espera-se a sustentação de expectativas de crescimento, na visão dos analistas do UBS. “Nossos economistas preveem um aumento de 60 pontos base para o crescimento do PIB em 2021 no mercado emergente neste cenário”, dizem em relatório. “Projetamos uma meta de índice para o final do ano de 2020 de 1.250 para o MSCI dos países emergentes, uma alta de 12%”, afirmam.

Os cenários “Biden com o Congresso dividido” e “Trump com o ‘status quo’” são considerados menos favoráveis para as ações emergentes. São previstos impasses com o congresso dividido ou a volta de uma tensão em relação ao comércio internacional com Trump no poder, As duas situações reduziriam as expectativas do UBS para o MSCI dos países emergentes a 1.150 (alta de 2,6%) e 1.050 (queda de 6,3%), respectivamente.

O surgimento rápido de uma vacina implicaria em 34% de potencial de alta para ações emergentes segundo o banco de investimentos. “Nossa equipe econômica esperaria que o crescimento do PIB em 2021 nos países emergentes aumentasse para 7%, dada uma recuperação mais rápida da demanda doméstica. Nesse cenário, projetamos o índice MSCI em 1.250 (12% de alta) no final de 2020 e 1.500 (34% de alta) no final de 2021”.

Já em um cenário de vacina pessimista, o crescimento do PIB diminui, com o MSCI dos países em questão em 1.000 no final de 2020 (queda de 11%) e 950 em 2021 (queda de 15%). Considera-se pessimista a hipótese da vacina ser adiada até o fim de 2021.

Os estrategistas Philip Finch, Alexey Ostapchuk e Bhanu Baweja, que assinam o relatório, ainda indicam visão positiva sobre setores específicos. “Mantemos uma posição positiva sobre as ações do Norte da Ásia e da ‘nova economia’ do mercado emergente, pois continuamos a acreditar que estão potencialmente bem posicionadas para um mundo pós-covid-19 e pós-eleições nos EUA”, dizem. “Uma possível recuperação adicional em um cenário de vacina otimista deve ter um forte impacto não linear sobre os setores mais afetados, que estão sub-representados no MSCI dos países emergentes. Portanto, acreditamos que os bancos, que emprestam para diversos setores, podem ser um dos melhores veículos para se preparar para tal cenário”, concluem.